Responsabilidade Social

Certificado Ecolub

O CEPRA, sempre atento às questões ambientais, viu a Ecolub atribuir-lhe o selo para a renovação do certificado Ecolub, em 2014.
Este certificado é atribuído pela ECOLUB às entidades aderentes ao Sistema Integrado de Gestão de Óleos Usados, que cumprem os requisitos legais e de cidadania no tratamento dos óleos usados, e que contribuem ativamente para proteger o ambiente.

CEPRA Solidário

Consciente das dificuldades que as instituições de apoio social atravessam, o CEPRA, a exemplo de anos anteriores, procedeu à recolha de dádivas de roupa, calçado, brinquedos, materiais para bébés, etc, para entrega a instituições localizadas próximo das instalações da Sede e da Delegação. Em 2014  foram selecionadas:

  •  Sede: Centro Social de Sacavém
  • Delegação: Socialis – Associação de Solidariedade Social

cepra solidário sede

cepra solidário dlg

Agradecemos a todos os que participaram nestas iniciativas, que certamente contribuíram para melhorar as condições em que vivem os utentes das instituições apoiadas, e que demonstram a valorização da responsabilidade social, e do voluntariado, de todos os colaboradores do CEPRA.

Bem hajam, os que ajudaram a ajudar!

Workshop “refletir para melhor agir” – Comemoração dos 33 anos do CEPRA

187Realizou-se a 8 de novembro de 2014, na Golegã, um encontro sem caráter de obrigatoriedade, destinado aos colaboradores (internos e externos) do CEPRA. Neste evento, aberto formalmente pelo Dr. Teixeira Lopes, Presidente da ARAN e vogal do Conselho de Administração, o Diretor do CEPRA efetuou um ponto de situação das atividades, das principais dificuldades, ao mesmo tempo que recordou os objetivos estratégicos para 2015.

Foi, ainda, o momento para cantar os parabéns e apagar as velas do bolo comemorativo dos 33 anos do CEPRA, de agraciar as colaboradoras Dina Sanches e Isabel Alves, que atingiram os 25 anos de antiguidade no CEPRA e nos despedirmos do professor timorense João Ferreira, que termina hoje o seu estágio no CEPRA.

Rede RSOPT

O CEPRA aderiu em Julho de 2009 à REDE RSOpt (www.rsopt.com), Rede de Responsabilidade Social Portuguesa. A RSOpt tem como grande missão promover novas atitudes e práticas de Responsabilidade Social através da integração voluntária de preocupações sociais, económicas e ambientais nas operações e na interação com outras partes interessadas.

A Rede RSOpt é uma estrutura aberta, multi-sectorial e multi-funcional, que agrega instituições de referência do mundo empresarial e da sociedade civil em Portugal, e trabalha as diferentes dimensões da responsabilidade social criando e tratando indicadores, realizando e divulgando estudos, promovendo formação e campanhas de informação e sensibilização.

Em suma, a Rede RSOpt pretende contribuir de forma significativa e real para a implementação de políticas e práticas sustentadas na gestão das organizações, independentemente do ramo de atividades, dimensão ou localização.

Na sequência apresentam-se algumas das iniciativas que constituem práticas subjacentes ao princípio da incorporação do desenvolvimento socialmente responsável na gestão do Centro.

Componente Interna, com os funcionários

cepra_exterior

No âmbito do seu compromisso com a Responsabilidade Social, a nível interno, o CEPRA criou um espaço de convívio para os trabalhadores da Sede, na vivenda contígua às áreas ajardinadas, onde foram instalados equipamentos como frigorífico, microondas e televisão, de forma a proporcionar igualmente as condições necessárias para a toma de refeições.

Num ambiente agradável e tranquilo é possível almoçar e conviver, de forma serena e harmoniosa, fortificando-se os laços de amizade e o espírito de grupo.

A criação deste espaço de lazer insere-se numa estratégia de satisfação dos recursos humanos do CEPRA, na medida em que se respondeu positivamente a uma sugestão por parte dos trabalhadores.

Nesta vivenda foi, ainda, criado um Gabinete para os Serviços Externos de Medicina no Trabalho.

Componente Interna, com os formandos e utentes

Com o intuito de proporcionar melhores condições aos formandos do CEPRA na ocupação dos intervalos letivos, e, seguindo uma das máximas dos 3 R’s (reduzir, reutilizar e reciclar), o CEPRA reutilizou diverso equipamento existente em armazém, para dar uma nova imagem à Sala de Convívio dos formandos da sede.

Ao nível dos cidadãos portadores de deficiência (no caso ao nível da mobilidade), o CEPRA melhorou as suas acessibilidades, uma vez que foram construídas mais rampas de acesso a deficientes em espaços comuns e de lazer, permitindo assim uma maior acessibilidade de todos aos serviços prestados.

Componente Interna, a Nível Ambiental

O CEPRA tem vindo a implementar medidas “verdes” e amigas do ambiente: as reuniões do Conselho de Administração foram pioneiras, com a conversão de todos os documentos necessários para pdf e a sua disponibilização em computadores portáteis, evitando assim a quadruplicação das cópias pelos seus membros; e a disponibilização dos manuais dos formandos em flash pen.
Esta última medida tem uma tripla valência: uma preocupação ambiental, subjacente à eliminação de milhares de cópias; ação de marketing e comunicação direta, divulgando o nome do CEPRA na flash pen e no porta-chaves fita que é parte integrante, e a redução de custos associada ao número de cópias, onde se inclui para além do papel, os custos com a assistência técnica do equipamento.

bancodebensdoados

O CEPRA colabora com o Banco de Bens Doados, no donativo de equipamentos obsoletos e em mau estado de conservação e sem recuperação para as atividades formativas.

O Banco de Bens Doados (www.bancodebensdoados.pt) pretende afirmar-se como fator de inovação, promovendo parcerias com as empresas, as cadeias de distribuição, os hotéis, ao abrigo das quais lhe sejam encaminhados bens que apresentem eventualmente defeitos, mas que, se encontrem ainda perfeitamente aptos a serem reutilizados, dotando-os de uma “nova vida”, assim lhes evitando uma “morte prematura”.

O Banco de Bens Doados, tem um duplo objetivo:

De carácter social, ao potenciar o trabalho das Instituições de Solidariedade Social, distribuindo-lhes bens e produtos doados por empresas e entidades em estado novo ou passíveis de reutilização;

De carácter ambiental, ao contribuir para o aproveitamento ou correta destruição de bens que deixaram de ter valor nas entidades doadoras e que, de outra forma, seriam desperdiçados com os inerentes custos ambientais.

“Tudo quanto não se dá, perde-se.”

Madre Teresa de Calcutá

 

 

 

Lei dos Compromissos e dos Pagamentos em Atraso – LCPA: 

Nos termos do nº 3 do artigo 15.º da Lei n.º 8/2012, de 21 de fevereiro, publicitam-se: